Machu Picchu: saiba como chegar à cidade dos Incas

6367

Machu Picchu é uma das sete maravilhas do mundo moderno. É declarada pela Unesco como Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade, está a 112 quilômetros de Cusco e a 2.350 metros acima do nível do mar. A cidade histórica é o principal cartão-postal do Peru, símbolo do Império Inca e talvez seja a maior atração de toda a América do Sul. Desde 1911, ano de seu descobrimento, Machu Picchu ganhou destaque internacional por sua complexa e intrigante arquitetura — que é a principal razão de sua alta popularidade. A fama é justa!

Machu Picchu representa o sonho de viagem muita gente, porque mesmo sendo um destino batido, é ainda uma viagem exótica, mística e com um quê de trip-bicho-grilo-natureba. Mas a verdade é que todos podem visitá-la, desde o trekker alucinado em montanhas até a senhorinha de 80 anos. Portanto, há várias maneiras de chegar até lá. E é sobre essas alternativas que vou falar neste post.

 

Brasil – Lima – Cusco

É mais comum ir de avião, mas não existe voo direto do Brasil para Cusco. Sabendo disso, é preciso ir até Lima ou comprar passagem com conexão na capital peruana. Tam, Lan, Taca e Avianca fazem este trecho.

Cusco - Peru

Cusco – Peru

 

Avião

Há voos diretos de Lima para Cusco. As cias aéreas que operam este trecho, são: AviancaLan, Hahn Air Systems e Star Perú. O Aeroporto Alejandro Velasco Astete (Cusco) fica bem próximo do centro da cidade.

 

Ônibus

Ônibus também é opção. São aproximadamente 22h de viagem de Lima a Cusco. Fiz este trajeto de busão e achei uma viagem bastante cansativa, mas não deixa de ser uma boa opção.

 

Do Brasil a Lima (de ônibus)

A empresa de Expresso Internacional Ormeño faz a cabulosa viagem de 6 mil quilômetros (5 dias de viagem). Os ônibus partem de São Paulo e Rio de Janeiro. É considerada a maior viagem de busão do mundo.

 

Trem da Morte (Brasil – Bolívia)

Embora não vá até o Peru, o Trem da Morte é um roteiro clássico de mochilão que parte de Corumbá (MS) rumo a Santa Cruz de La Sierra (Bolívia). Faz parte de um longo roteiro para se chegar a Machu Picchu.

Trem da Morte

Trem da Morte

 

Hostel em Cusco

A cidade de Cusco é bastante badalada e possui uma atmosfera muito descontraída. Por conta disso, os hostels também costumam ser divertidos e agitados. Destaco o Loki Hostel Cusco e Milhouse.

Confira também: Todas as hospedagens de Cusco.

 

Para fazer uma boa aclimatação, considere ficar pelo menos 3 noites em Cusco, principalmente se for encarar a Trilha Inca ou a Salkantay.

 

De Cusco para Machu Picchu

Estando em Cusco, o desafio da vez é chegar até Águas Calientes, que é o vilarejo pé de montanha que dá acesso a Machu Picchu. Pode-se chegar lá de várias maneiras, mas tudo depende da disposição, do objetivo da viagem, do perfil do viajante e de quanto a pessoa quer gastar. Veja abaixo:

 

Trem

trem-machu-picchu

Trem para Machu Picchu

 

O trem é a maneira menos cansativa para se chegar a Machu Picchu. É também o modo mais utilizado pelos turistas. Indo de trem, existem duas empresas que podem te deixar na estação de Águas Calientes: a Peru Rail e a Inca Rail.

Peru Rail: Possui 3 estações com destino a Águas Calientes: PoroyUrubamba e Ollantaytambo. É a empresa a mais utilizada pelos viajantes, já que possui mais horários e, principalmente, por ser a única a sair da estação de Poroy, que fica bem ao lado de Cusco.

Inca Rail: Parte somente de Ollantaytambo, que está a 96 Km de Cusco. Chega-se de ônibus.

Tempo de viagem até Águas Calientes: Poroy – (3h) | Urubamba – (2h30) | Ollantaytambo – (1h30).

Preço: Os trens oferecem vários níveis de conforto e valores, mas levando em consideração que você caiu neste blog de viagem de mochilão, a opção mais barata para ir de trem até Águas Calientes é de aproximadamente US$ 120 (R$ 400,00). Sim, é caro!

 

Trilha Inca

Trilha Inca

Trilha Inca

 

A Trilha Inca é, seguramente, o trekking mais popular das Américas, talvez do mundo. Ela é clássica e bastante concorrida. É um trajeto que é feito em 4 dias e 3 noites, ao longo de 40 km. Só pode ser feita com guia ou agência credenciada. A reserva deverá ser feita com no mínimo 4 meses de antecedência.

Preço aproximado: US$ 500 (R$ 1.600,00)

 

Trilha Salkantay

Trilha Salkantay

Trilha Salkantay

 

A Trilha Salkantay é um outro percurso, alternativo à clássica Trilha Inca. Atualmente, é tão concorrida quanto a trilha tradicional, mas para encará-la não há necessidade de fazer reserva. É feita em 5 dias e 4 noites. Dá para reservar Cusco, só terá que esperar 2 ou 3 dias para conseguir uma vaga. Nada complicado.

Preço aproximado: US$ 400 (R$ 1.300,00)

 

Santa Teresa

Machu Picchu por Santa Teresa

Machu Picchu por Santa Teresa

 

Machu Picchu via Santa Teresa é uma ótima opção. É uma rota alternativa e, geralmente, é feita por mochileiros com grana curta, mas que mesmo assim não dispensam uma boa dose de aventura. Dá pra ir por conta própria, pegando ônibus e van. Dá também pra contratar agências locais, gastando menos que os trekkings e ainda curtindo numa boa.

Por conta própria: Deve-se pegar ônibus para Santa Maria no terminal de Cusco. A viagem dura aproximadamente 6 horas. E, ao chegar lá, diversas vans estarão esperando os viajantes muquiranas. Depois desse ponto, serão mais duas horas de estrada. O caminho é interessante e adrenante. A via é de mão única e passa ao lado de abismos. O destino é a hidrelétrica. Chegando lá, terá apenas que cruzar uma portaria e caminhar na linha do trem. A caminhada é bem bonita e demora não mais do que 3 horas. O destino final é em Águas Calientes.

 

Inka Jungle

Inka Jungle

Inka Jungle

 

O Inka Jungle é o mesmo caminho de Santa Teresa, mas é feito em 4 dias e com agência local. A diferença é que, neste passeio, dá pra ter várias experiências interessantes, como tour de bike, rafting, tirolesa e hiking.

Dia 1: Downhill até Santa Maria | Dia 2: Hiking até Santa Teresa | Dia 3: Tirolesa e Rafting | Dia 4: Hiking até Águas Calientes. O passeio também é contratado em Cusco.

Preço aproximado: US$ 300 (R$ 1.000,00)

 

A melhor época

A melhor época para visitar Machu Picchu é no período de seca, que é de maio a setembro. Os meses de dezembro, janeiro e fevereiro são inviáveis devido às chuvas. Nessa época, os rios transbordam e as estradas ficam inacessíveis. Evite!

Tem um post exclusivo só falando sobre a melhor época. Quer dar uma olhada? Veja aqui!

 

Ingresso para Machu Picchu

machu picchu capa

Independente da escolha acima, todos devem ter à cidadezinha de Águas Calientes como objetivo. Lá é a base para se chegar até Machu Picchu. E, chegando lá, deve-se ter em mãos o ingresso para Machu Picchu, sem ele é impossível conhecer o lugar.

Pode-se comprar o ingresso no site oficial, mas para isso terá que ter o cartão Verified by Visa. Sem essa opção, nem os cartões de créditos internacionais são aceitos. Sendo assim, a maneira mais viável é comprando diretamente com as agências locais, embora o valor seja um pouco mais caro.

 

Tipos de Ingressos

Sim, ainda tem essa. Tem que escolher o tipo de ingresso para conhecer Machu Picchu.

Veja as opções abaixo:

 

Machu Picchu (Sítio Arqueológico)

Machu Picchu

Machu Picchu

 

É a opção mais light. Pode conhecer todas as ruínas e caminhar em todos os becos da cidade perdida. Só não é permitido subir em nenhuma das montanhas (Huayna Picchu e Machu Picchu).

Preço aproximado: US$ 60 (R$ 200,00)

 

Machu Picchu + Huayna Picchu

huayna-picchu

Huayna Picchu – Machu Picchu

 

Huayna Picchu é a clássica montanha que fica atrás da cidade de Machu Picchu. Por dia, somente 400 pessoas podem subi-la. O ingresso é concorrido e acaba rápido. Deve-se comprar o ingresso com antecedência caso queira encará-la. A rota para a Huayna Picchu ainda inclui algumas outras ruínas. Possui horário estipulado para subir, portanto, deve ser rigorosamente planejado. O tempo de subida é de aproximadamente 1 hora.

Preço aproximado: US$ 70 (R$ 220,00)

 

Machu Picchu + Montanha de Machu Picchu

montanha-machu-picchu

Montanha de Machu Picchu

 

Essa montanha permite ter a visão clássica de Machu Picchu. Lá do topo dá pra ver todo o sítio arqueológico e ainda ter a vista de Huayna Picchu ao fundo. Ela não tem vestígios arqueológicos, no entanto, tem uma bela vista. Possui um limite de 800 pessoas por dia e seu ingresso é concorrido. Possui horário estipulado para subir, portanto, deve ser rigorosamente planejado. O tempo de subida é aproximadamente 2 horas.

Preço aproximado: US$ 65 (R$ 200,00)

 

Compre o ingresso com antecedência

O número de ingressos é limitado. Atualmente, são permitidos 2500 visitantes por dia. Lembrando que, caso seja comprado em Cusco, seu passeio poderá demorar alguns dias para acontecer. O tempo de espera não costuma ser longo, geralmente 2 ou no máximo 3 dias.

 

De Águas Calientes a Machu Picchu

Águas Calientes está a 8 km de Machu Picchu. E, pra quem deseja conhecer à cidade dos Incas, terá duas opções para se chegar até lá: indo a pé ou pegando um ônibus. O busão tem o valor de 24 dólares (ida e volta) e sai da avenida principal do vilarejo. Para este bilhete, a reserva antecipada não é necessária, mas recomendo comprar com um dia  de antecedência.

 

Dica quente: Às 5h sai o primeiro ônibus. Tente pegá-lo para ver o nascer do sol em Machu Picchu e também para se livrar da muvuca.

 

Águas Calientes

Vilarejo de Águas Calientes

Vilarejo de Águas Calientes

 

Fazer um bate e volta de Cusco a Machu Picchu é pedir para não aproveitar à cidade perdida dos Incas. Deve-se considerar passar pelo menos uma noite em Águas Calientes. O lugar é um charmoso vilarejo pé de montanha, pequeno e com boa infraestrutura. Fora isso, há diversas atrações legais, como piscinas termais – como o próprio nome sugere –, feira de artesanato e ótimos restaurantes.

Veja onde ficar em Águas Calientes: confira as hospedagens.

 

Pelo fato de ser uma cidade congestionada de viajantes, a reserva de hospedagem em Águas Calientes é indispensável.

 

Seguro viagem

Independente da maneira que o viajante escolher chegar a Machu Picchu, uma viagem pra lá não deve ser feita sem um seguro viagem. Para se ter ideia, uma simples consulta médica em Cusco pode custar até 150 dólares (R$ 500,00), sem contar o risco das atividades ao ar livre. Não vacile!

O Real Seguro é um comparados de preços, simule aqui: Seguro Viagem

Veja também: Seguro viagem para mochileiros

 

Fotos: Acervo próprio e shutterstock.com



Rafael Kosoniscs tem 32 anos, é paulista, publicitário, guia de turismo, blogueiro e estudante de jornalismo. É viciado em viagens de mochilão — seja em cidades ou em meio à natureza. Tem o montanhismo como paixão, sonha em dar a volta ao mundo e escrever um livro.


13 comentários em “Machu Picchu: saiba como chegar à cidade dos Incas

  1. Luciana Y

    Olá Rafael, adorei o seu post, então estou querendo fazer meu primeiro mochilão pela América do Sul em janeiro/17, só posso nas férias jan/fev ou julho, optei por janeiro, quero muito conhecer o Salar alagado, e estou com umas dúvidas, se vc puder me ajudar… tipo qual trajeto vc acha melhor e mais barato, sair de Uyuni e ir direto a Cusco ou sair de Uyuni e ir até La Paz e ir subindo, meu foco é o Salar e MP… dicas de ônibus ou trem que faça esse caminho, e sobre chegar a Aguas Calientes por Sta Teresa, essa caminhada de 3 hs é de boa? tudo reta ou muita subida, pq não tenho preparo físico rs queria ir de trem mesmo, mas o preço é meio salgadinho, se essa caminhada for tranquila optarei por ela, grande abraço.

    Reply
    1. Rafael Kosoniscs Post author

      Olá, Luciana. Eu aconselho a ir do Salar para La Paz, depois seguir para Copacabana -> Puno -> Cusco. Sobre os ônibus tem que dar uma pesquisada nas empresas. Não sei te falar os preços. Já a caminhada é tranquila, qualquer pessoa consegue fazê-la. Não vejo como uma trilha difícil… Um abraço!

      Reply
  2. Marco Reis

    Olá! Seria possível fazer as trilhas de 4/5 dias sem o guia? No post fala de US$ 500, mas aqui em Brasília, no ano passado, o guia me cobrou R$ 8000!!!

    Será possível ir sem guia, ou contratar em Cusco?

    Existe alguma trilha que pode-se ir sozinho, ou talvez com mais 1 pessoa?

    Reply
  3. Roberta

    Obrigada pelas informaçoes Rafael!
    Fiquei em duvida em relaçao ao retorno a Cusco.
    Depois de conhecer Macchu Picchu, você também retornou por Santa Teresa, essa opçao existe independente se for de Aguas Calientes ou MC?

    Reply
    1. Rafael Kosoniscs Post author

      Olá, João. Acho que a grande questão é o conforto. Por conta própria nem sempre as coisas saem como planejamos, mas muitas outras surpresas acontecem. Vai também do perfil de cada viajante. Mas a experiência será excelente independente da sua escolha. Forte abraço!

      Reply
  4. Victor Rondan

    Olá Rafael, tudo bem?
    primeiramente parabéns pelo blog, ótimas informações.
    É uma experiência agradável para viajar para Machu Picchu, onde você tem a oportunidade de ver paisagens muito bonitos e interessantes, também você deve têm muito energia para chegar lá e desfrutar das maravilhas de Machu Picchu.

    Reply
  5. Ricardo

    Olá gente!!
    Porque escolher Peru para sua próxima viagem?
    Cada dia as pessoas se perguntam para onde quiserem viajar na sua próxima férias. Convido-lhes a visitar Peru. Um país mágico e incomparável que durante os últimos anos teve uma evolução favorável a nível econômico, cultural, social e turístico.
    As razões de porque deveria visitar Peru é porque possui uma das 7 maravilhas do mundo moderno, Machu Picchu, a cidadela perdida dos Incas do século XV que foi descoberta no século passado, você visualiza a harmonia da natureza junto com o trabalho perfeito logrado na sua arquitetura.

    Reply
  6. Ricardo

    Olá pessoal!!
    Primeiramente parabenizo pelo trabalho que fiz em ajudar aos brasileiros que desejem conhecer Machu Picchu e Peru, quem escreve é um amante da cultura brasileira e graças a deus já teve a sorte de morar no Brasil por um bom tempo, agora voltei ao Peru – Cusco para mostrar a todos os brasileiros que desejem conhecer a terra dos incas.
    Gostaria ajudar com o seu blog sobre alguns atrativos que não foram visitados como o Vinicunca chamado montanha de 7 colores e Choquequirao que foi a ultima morada da cultura Inca.
    Se alguém deseja algumas dicas e recomendações pra a sua viagem, será tudo um prazer ajuda-los em realizar o sonho de conhecer Machu Picchu Cusco, Lima, Lago titicaca, Arequipa, Nazca, Paracas, Puno, Trujillo e outros destinos que ainda não foram explorados pelo brasileiros.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *