Fundação Mais Cerrado: em proteção ao berço das águas

2088

Oito bacias hidrográficas do Brasil nascem no cerrado e clamam por socorro: sem devida atenção do governo, o cerrado, região central do país, está com seu valor ambiental comprometido e cada vez mais desprotegido.

 

Até conhecer o cerrado com meus próprios pés e olhar os troncos retorcidos com meus próprios olhos eu não fazia ideia da dimensão do Brasil Central. Só sabia que era grande, mas me faltava noção da importância do lugar para o território brasileiro, ou melhor, para o mundo. Bastante conhecido no exterior, o Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros foi declarado Patrimônio Natural da Humanidade pela UNESCO, devido ao seu incalculável valor. Mas o cerrado não se resume somente a ele. Além disso, atualmente, o cerrado só possui 10% de sua área original, cerca de 65 mil hectares, sendo que antigamente era de 700 mil hectares, isso equivale a aproximadamente 700 mil campos de futebol. Difícil até de imaginar. O problema é que toda essa área não mais “declarada” está mais desprotegida do que nunca diante da ameaça decorrente da aprovação do Plano de Manejo da Área de Preservação Ambiental (APA) de Pouso Alto – Chapada dos Veadeiros, que permitiria intensas atividades predatórias no sensível patrimônio ambiental da região.

 

O manejo errado

É a ação que está totalmente ligada ao aproveitamento da região, pelo homem, em termos de agricultura com agrotóxicos, pecuária com desmatamentos e geração de energia por meio de hidrelétricas, além de outras ações predatórias. 

 

chapada-dos-veadeiros

As Cataratas dos Couros, por exemplo, estariam condenadas com o manejo feito de forma não sustentável.

 

A história é muito mais longa, mas a partir da preocupação ambiental com o cerrado aconteceu uma mobilização social e surgiu a Fundação Mais Cerrado, uma organização sem fins lucrativos que visa estabelecer diálogos, reuniões e ser ponte entre a sociedade, governo e empresários com o objetivo de formular um novo plano de manejo sustentável, não predatório, que valorize as comunidades locais e que, principalmente, não coloque em risco a questão ambiental, hídrica e climática do cerrado.

fundação mais cerrado

 

O cerrado tem um enorme potencial para a realização de investimentos em projetos ambientais, como o incentivo ao ecoturismo, à agroecologia, à produção orgânica, aos produtos típicos do bioma, programas de pagamentos por serviços ambientais (PSA), produção de água, recuperação ecossistêmica, pesquisas, educação ambiental, energia renovável, produtos medicinais. Uma nova visão sustentável de gestão eficiente do meio ambiente deve ser construída, sua resultante é um cenário de diversas oportunidades a todos. É de suma importância a defesa do Bioma Cerrado, das águas, dos alimentos, da vida, dos brasileiros e de todo ser vivo deste planeta.

Fundação Mais Cerrado

 

A ampliação do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Agora, está rolando a campanha para a ampliação do PNCV, que aguarda apenas a assinatura da Casa Civil. A proposta é uma iniciativa do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e já foi aprovada pelo Ministério do Meio Ambiente e pelo governo de Goiás.

Campanha #AssinaCasaCivil

fundação mais cerrado

 

Viajante, envolva-se com a Fundação Mais Cerrado!

Há várias maneiras de contribuir com a Fundação Mais Cerrado, até mesmo durante uma viagem. Conheça mais sobre o projeto:

Site | Fanpage | contato@maiscerrado.org

 

Foto capa: shutterstock.com



Rafael Kosoniscs tem 32 anos, é paulista, publicitário, guia de turismo, blogueiro e estudante de jornalismo. É viciado em viagens de mochilão — seja em cidades ou em meio à natureza. Tem o montanhismo como paixão, sonha em dar a volta ao mundo e escrever um livro.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *